Novo Acordo Ortográfico

Confira as regras do Novo Acordo Ortográfico, que passam a valer no ENEM e nos vestibulares 2016.

O Novo Acordo Ortográfico agora é pra valer e você será cobrado das novas regras no ENEM 2016 e nos vestibulares a partir desse ano. Mas você sabe porque ele existe? O acordo vigora oficialmente desde 2009, mas já se encontrava assinado desde 1990. Seu objetivo é simplificar as regras ortográficas e unificar a escrita entre todas as nações de Língua Portuguesa: Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, mas o que mudou, de fato? Confira as novas regras! 👇

Novo Acordo Ortográfico – Alfabeto

Influência de outros idiomas, especialmente do Inglês, o alfabeto brasileiro ganha mais três letras: K, W e Y, passando de 23 para 26 letras no total.

Exemplos: show, Shakespeare, Byron, Newton, etc

Novo Acordo Ortográfico – Trema

Essa é fácil: não se usa mais o trema em palavras do português! Ele permanece em nomes próprios e seus derivados, de origem estrangeira, como “Bündchen”, “Müller” e “mülleriano”, por exemplo.

Exemplos: aguentar, frequentar, consequência e etc.

Novo Acordo Ortográfico – Acento diferencial

Caiu o acento agudo que diferenciava palavras iguais, como por exemplo “pára” (do verbo parar) e “para” (preposição).

Exemplos: Pára → para, pêlo → pelo, pólo → polo

Exceções!  

Pôde” (“poder” no passado) mantém o acento para se distinguir de “pode” (“poder” no presente),

Pôr” (verbo), mantém o acento para se diferenciar de “por” (preposição).

Novo Acordo Ortográfico – Acento agudo

1. Não se usa mais acento nos ditongos abertos “ei” e “oi” quando estiverem na penúltima sílaba (paroxítonas).

Exemplos: heroico, jiboia, assembleia, ideia, paranoico, joia, europeia, paranoia, onomatopeia, centopeia e etc.

Exceções!

Acentue “ei” e “oi” quando vierem na última sílaba e se o som estiver abertoExemplos: céu, véu, dói, herói, chapéu

2. Não se usa mais acento nas letras “u” e “i” quando estiverem na penúltima sílaba (paroxítonas) e forem precedidas de ditongo.

Exemplos: feiura, baiuca, boiuno

3. Não se usa mais acento no “u” tônico dos verbos dos grupos “gue/gui” e “que/qui”.

Exemplos: averiguo, apazigue, enxague, arguem, oblique e etc.

Novo Acordo Ortográfico – Acento circunflexo

Não se acentua mais os hiatos, ou seja as palavras com as vogais dobradas “ee” e “oo”.

Exemplos: creem, preveem, deem, veem, leem, descreem, releem, leem, perdoo, enjoo, voo, entoo, abençoo.

Novo Acordo Ortográfico – Hífen

⚠ As regras para o uso do hífen são complexas e foram as que mais mudaram, portanto redobre a atenção nessa parte!

👍 Quando usar o hífen:

1. Quando a segunda palavra começar por “h”.

Exemplos: Anti-higiênico, extra-humano, super-homem, micro-história.

2. Quando o prefixo terminar com a mesma consoante que se inicia a segunda palavra.

Exemplos: Inter-relação, super-realista, hiper-racionaliza, hiper-romântico.

3. Após o prefixo “sub”, se o próximo termo iniciar com “r”.

Exemplos: sub-regional, sub-raça, sub-racial, sub-região.

4. Caso o prefixo termine em vogal e a segunda palavra comece com a mesma vogal.

Exemplos: anti-inflamatório, anti-inflacionário, micro-ondas, micro-organismo, auto-observação, contra-ataque.

5. Quando a segunda palavra começar em “m, n” e vogal tendo como prefixos “circum” e “pan”.

Exemplos: pan-americano, circum-navegação.

6. Com os prefixos “além, aquém, ex, pré, pró, pós, recém, sem, soto e vice”.

Exemplos: pré-história, recém-nascido, pós-operatório, vice-governador, ex-mulher, soto-mestre, sem-teto, pró-labore, além-mar, recém-casado, sem-vergonha.

7. Quando os sufixos tiverem origem tupi.

Exemplos: capim-açu, andá-açu, amoré-guaçu.

8. Quando as palavras se combinarem por ocasião.

Exemplos: ponte Rio-Niterói, negociações China-EUA.

9. Nas palavras que continuam com sua acentuação própria.

Exemplos: médico-cirurgião, sexta-feira, rosa-claro.

10. Em palavras relacionadas a espécies botânicas e zoológicas.

Exemplos: beija-flor, couve-flor, erva-doce, pimenta-do-reino, bem-te-vi, mico-leão-dourado.

11. Em nomes próprios de lugar iniciados por “grão/grã”.

Exemplos: Grã-Bretanha, Grã-Pará.

12. Em nomes próprios ligados por artigo.

Exemplos: Baía de Todos-os-Santos e Trás-os-Montes.

13. Em palavras compostas iniciadas pelo advérbio “bem” ou “mal”, em que a segunda palavra seja iniciada por qualquer vogal ou a letra “h”.

Exemplos: bem-humorado, bem-amado, mal-afortunado, mal-estar.

14. Nas formas pronominais de ênclise e mesóclise.

Exemplos: adorá-lo; pediu-lhe; contar-te-emos; dar-se-ia.

15. Após o advérbio “eis” seguido de formais pronominais.

Exemplos: eis-me; ei-lo.

16. Nas expressões consagradas pelo uso.

Exemplos: água-de-colônia, água-de-coco, mais-que-perfeito.
.

👎 Quando não usar o hífen:

1. Quando a primeira palavra começar em “des-” e “in-” e a segunda perder o “h” do início da palavra.

Exemplos: inumano, desumano.

2. Quando o prefixo terminar em vogal e a segunda palavra iniciar com “r” ou “s”.

👉 Dobra-se as consoantes citadas.

Exemplos: autorregulamentação, cosseno, extrasseco, ultrarromântico, antissocial, contrarreforma, antissemita; contrarregra, minissaia, microssitema, extrarregular.

3. Quando o prefixo terminar em vogal e a segunda palavra iniciar com consoante diferente de “r” ou “s”.

Exemplos: autopreparação, microcomputador, autopeça, extraforte.

4. Quando o prefixo terminar em vogal diferente da vogal que a segunda palavra se inicia:

Exemplos: autoescola, infraestrutura, extraescolar, autoajuda.

5. Após os prefixos “co-, re- e pre-” (sem acento).

Exemplos: coordenar, reedição, preestabelecer, coordenação, refazer, preexistir, coordenador, reescrever, prever, relembrar, cooperação, reutilização, cooperativa, reelaborar

6. Quando o prefixo terminar com consoante e o segundo termo iniciar com vogal ou consoante diferente do primeiro.

Exemplos: hipermercado, superamigo, hiperativo, superinteressante.

7. Nas palavras que perderam a noção de composição.

Exemplos: mandachuva, paraquedas, pontapé, girassol, passatempo.

8. Nas locuções substantivas, adjetivas, adverbiais, pronominais, conjuncionais ou prepositivas.

Exemplos: fim de semana, café com leite, cartão de visita, cão de guarda, cor de vinho, dia a dia.

.

Ufa! Algumas regras mudaram e você precisa ficar de olho para não perder preciosos pontos nas provas e na Redação, afinal esse ano é pra valer! Para te ajudar ainda mais também selecionamos os erros clássicos de Português que todo estudante comete nas provas e dicas preciosas para fazer uma Redação Nota Mil no ENEM e nos principais vestibulares do Brasil! Falta pouco, mas ainda dá tempo de brilhar em Novembro!

Como fazer uma redação nota mil no ENEM

.

.

Comentários

Comentários

Simulados ENEM, Simulados FUVEST, Provas Anteriores ENEM, Provas Anteriores Vestibular, Prêmios, MISSU, Missão Universitário, simulados online com gabarito, simulados online ENEM, ENEM 2016, enem provas anteriores, simulado do enem 2015, simulados do enem 2015